Depois de anos usando o Gnome como meu desktop padrão, nestas férias resolvi visitar um velho amigo, o KDE. Como uso o Ubuntu, a instalação foi simples:

sudo apt-get install kubuntu-desktop

Depois de vários pacotes instalados já podia brincar no velho playground. Algumas coisas estão tão boas quanto me lembro: o Amarok ainda é um ótimo player, o k3b é fantástico para queimar CDs e DVDs, o kopete é bem legal, assim como os players de video, como o kafeine. Algumas coisas me supreenderam:

  • o katapult: é só teclar Alt+Space e aparece uma telinha transparente para digitar o comando que quer executar. Um exelente substituto para o Alt+F2

  • o kate: várias pessoas haviam sugerido testar o kate em um post anterior onde escrevi sobre o Gedit. Realmente é uma ferramenta muito boa. Só não consegui fazer funcionar os snippets. Se alguém souber me avise

  • o “painel de controle”: esse melhorou bastante. Sempre foi legal, mas ficou bem mais organizado. Parece que o Gnome também vai adotar uma solução semelhante.

  • o kdevelop: agora além de trabalhar com C/C++ é possí­vel usá-lo como IDE para trabalhar com PHP e Ruby. Ainda não testei suficiente mas parece um grande passo no sentido de unificar tudo em uma IDE só, assim como o Eclipse

  • o wlassistant: para acessar redes sem fio. Muito prático

  • o ktorrent: ótima ferramenta para download de torrents

Mas algumas coisas acho que poderiam ser melhores:

  • o konqueror: tanto como navegador Web quanto navegador de arquivos. Para Web ainda prefiro o Firefox. Tentei acessar o Gmail e não suporta. Estranho que o navegador Web do MacOS é baseado em partes no código do konqueror e me parece ser melhor (especulação, usei muito pouco o MacOS). Como navegador de arquivos ainda acho o Nautilus melhor, mas talvez seja questão de me adaptar.

  • o adept: o aplicativo de gerenciamento de pacotes me pareceu um pouco confuso. Gosto mais do Synaptic

  • o excesso de botões: estou acostumado com a interface “espartana” do Gnome. Lá não precisa dar OK ou Confirmar para as alterações.

Estou usando o KDE como desktop por quase uma semana e estou gostando. Se vou adotá-lo como ambiente padrão ainda é muito cedo para afirmar. Para quem, como eu, faz tempo que só usa o Gnome vale a pena dar uma olhadinha.

powered by performancing firefox