Eclipse

O Eclipse é um projeto open source iniciado pela IBM e que hoje é uma das melhores IDEs do mercado. O Eclipse foi desenvolvido inicialmente como uma IDE para Java, mas graças a seu sistema de plugins hoje é possível usá-lo para programar em quase todas as linguagens existentes, dentre elas PHP. O plugin para trabalhar com PHP no Eclipse é o PHPeclipse . Sua instalação é simples, bastando descompactar o arquivo no mesmo diretório onde está instalado o Eclipse. Ele fornece várias facilidades para o programador PHP, como opção de iniciar e parar o apache e o mysql, autocompletar de comandos, highlighting , lista de funções/métodos do arquivo, projetos, etc, como mostra a figura abaixo

PHPeclipse

CVS

O CVS é um dos mais usados sistemas de controle de versões. Apesar de existirem outras opções como o Subversion, ele ainda atende as necessidades de diversos projetos. No decorrer deste texto mostrarei como criar um repositório e como usar o Eclipse para gerenciar os arquivos de um projeto. Para este exemplo foi utilizado um computador com o Ubuntu 5.10 para servir como repositório central do projeto. Os clientes, no caso o Eclipse rodando no Linux ou no Windows, irão usar o servidor para salvar os arquivos do projeto. A instação do CVS é simples, bastando executar

sudo apt-get install cvs

para que o pacote seja instalado.

**Iniciar o projeto no CVS **

Exportar a variável CVSROOT

export CVSROOT=/home/cvs

Criar o diretório onde vão ser armazenados os arquivos dos projetos mkdir /home/cvs

O melhor é criar um grupo cvs, adicionar os usuários nesse grupo e dar as permissões corretas para o diretório

_chown -R cvs /home/cvs chmod g+rwx /home/cvs _ Com o comando abaixo é inicializado o repositório cvs init Para importar os arquivos de um projeto antigo para o repositório, os comandos são:

_cd path_projeto_antigo cvs import -m “mensagem” nome_projeto_repositorio nome_release nometag

_ Exemplo: __cd /home/elm/Projects/saa cvs import -m “Sistema de Auto Atendimento” saa R1 inicio _ Os arquivos serão copiados para o diretório /home/cvs, indicado pela variável CVSROOT

_ _Depois disto pode-se compactar e remover os arquivos do diretório /home/elm/Projects/saa para não correr o risco de usar os programas que não estão no repositório

_ _Utilizando o Eclipse para acessar o repositório

_ _No Eclipse, pode-se criar um novo projeto do tipo PHP e importar os arquivos do CVS para ele.

_ _figura1.png

_ _figura2.png

_ _Após criado o projeto, pode-se usar a opção de importar os arquivos para o projeto. Clicando-se com o segundo botão sobre o projeto criado, opção Import

_ _figura3.png

_ _figura4.png

_ _Na figura abaixo são demonstrados as informações necessárias para conectar no servidor.

_ __figura51.png __ Host:_ endereço ip ou nome do servidor onde está o repositório _ Repository path:_ o mesmo valor do CVSROOT, no exemplo, /home/cvs _ User:_ cvs ou qualquer usuário que pertença ao grupo cvs, pois os membros deste grupo tem acesso a gravar os dados no diretório do repositório _ Connection type:_extssh _ Use default port:_ A conexão será feita pelo protocolo SSH, então o servidor deste protocolo deve estar sendo executado no servidor. Caso o servidor sshd esteja sendo executado em outra porta que não a padrão, pode-se informá-la na opção Use port. _ Save password:_ pode ser marcado para que não seja preciso digitar a senha do usuário a cada operação. A senha será gravada localmente, por isso, paranóicos por segurança podem preferir não marcar esta opção

_ _figura6.png

_ _figura7.png

_ _figura8.png

_ _No detalhe da figura abaixo é possível ver o nome do arquivo e a versão atual (1.1.1.1)

_ _figura9.png

_ _Salvando os arquivos no CVS

_ _Após alterar os arquivos localmente é preciso salvar as alterações no CVS. Para fazer isso é só clicar com o segundo botão sobre o arquivo alterado (note que aparece um sinal > no início do arquivo mostrando que ele sofreu alterações desde a última sincronização) e escolher a opção Team -> Commit. Uma tela é mostrada pedindo que seja informado um comentário sobre o que foi alterado nessa nova versão, como mostra a figura abaixo.

_ _figura10.png

_ _Na figura abaixo é possível ver que o arquivo agora está na versão 1.2

_ _figura11.png Comparando as alterações

_ _Clicando com o segundo botão no arquivo, opção Compare With ->Revision é possivel ver todas as versões existentes do programa. Clicando duplo em uma das versões anteriores é mostrado uma tela com a versão atual e mostrando o que foi alterado entre a versão atual e a antiga.Como mostra a figura abaixo.

_ _figura12.png Outra vantagem de se utilizar um sistema de controle de versões como o CVS é o trabalho colaborativo. Se outra pessoal alterou o arquivo, no momento do commit é mostrado as suas alterações e as da outra pessoa. Assim pode-se decidir qual das duas, ou as duas, devem ficar no arquivo e deve-se executar o commit novamente.

_ _Este é apenas um resumo das principais funções do CVS. Mais informações podem ser encontradas no manual do CVS ou na excelente Apostila de CVS escrita por André Duarte Bueno, que serviu de fonte para este texto.