Ultimamente tenho estudado bastante sobre Web Services. O motivo por esse interesse é meu interesse sobre Grid Computing. A versão 3 do Globus Toolkit (GT3) é baseada no conceito de Grid Services, ou seja, os recursos do Grid são acessíveis na forma de serviços. Para entender melhor como funciona a teoria por trás dos Web Services estou lendo um excelente livro, o Professional Java Web Services, da Wrox. Também fiz alguns testes para ver como funciona o esquema. Vou tentar aqui colocar algumas coisas que fiz. Pode ser que auxilie alguém a começar os estudos, como está me ajudando. O Serviço Para iniciar os testes eu fiz um pequeno programa em Java que será meu primeiro Web Service. O código é: import java.util.*; public class CalcService { public int add(int p1, int p2) {

return p1 + p2; }

public int subtract(int p1, int p2) {

return p1 - p2; } } Publicando o serviço Para que o serviço possa ser acessado ele precisa ser publicado em algum servidor de aplicações. Neste caso eu escolhi o Tomcat, desenvolvido pela Apache Foundation. Fiz o download dos binários(4.1) no site http://jakarta.apache.org/ e descompactei no /usr/local/tomcat O próximo passo é adicionar o suporte ao protocolo SOAP no Tomcat. O SOAP é o protocolo com o qual o Web Service será acessado e é padronizado pela W3C. Para fazer isso fiz o download do pacote (2.3.1) no site http://www.apache.org/dyn/closer.cgi/ws/soap/. Depois de descompactado é preciso copiar o arquivo soap-2_3_1/webapps/soap.war para o diretório de applicativos do Tomcat (cp soap-2_3_1/webapps/soap.war /usr/local/tomcat/webapps). Para testar se funcionou a instalação é só acessar o endereço http://localhost:8080/soap/ Para realizar a publicação é necessário primeiro criar um arquivo de definição no padrão WSDL. É um arquivo xml usado para definir a interface do Web Service. O arquivo que usei para esse teste foi: <isd :service xmlns:isd="http://xml.apache.org/xml-soap/deployment" id="urn:onjavaserver"> <isd :provider type="java" scope="Application" methods="add subtract"> <isd :java class="CalcService"/> </isd> <isd :faultListener>org.apache.soap.server.DOMFaultListener</isd> </isd> Para realizar o deploy é só executar o comando: java -classpath soap-2_3_1/lib/soap.jar:/usr/local/tomcat/common/lib/mail.jar:/usr/local/tomcat/common/lib/activation.jar org.apache.soap.server.ServiceManagerClient http://localhost:8080/soap/servlet/rpcrouter deploy DeploymentDescriptor.xml Para visualizar se o deploy funcionou pode-se usar a interface de administração do SOAP: http://localhost:8080/soap/admin/index.html Na opção List é possível ver os serviços. O próximo passo é copiar o CalcService.class para o diretório de classes do soap para que o servidor de aplicações possa executar. : cp CalcService.class /usr/local/tomcat/webapps/soap/WEB-INF/classes/ Os clientes Para realizar os testes fiz tres pequenos clientes para “consumir” o serviço. O primeiro, em Java: import java.io.*; import java.net.*; import java.util.*; import org.apache.soap.*; import org.apache.soap.rpc.*;

public class CalcClient {

public static void main(String[] args) throws Exception {

URL url = new URL (“http://localhost:8080/soap/servlet/rpcrouter");

Integer p1 = new Integer(args[1]); Integer p2 = new Integer(args[2]);

// Constroi a chamada. Call call = new Call(); call.setTargetObjectURI(“urn:onjavaserver”); call.setMethodName(args[0]); call.setEncodingStyleURI(Constants.NS_URI_SOAP_ENC); Vector params = new Vector(); params.addElement(new Parameter(“p1”, Integer.class, p1, null)); params.addElement(new Parameter(“p2”, Integer.class, p2, null)); call.setParams (params);

// faz a chamada Response resp = call.invoke(url, “” ); Parameter result = resp.getReturnValue(); System.out.println(args[0]+“=”+result.getValue()); } }

O resultado da execução: elm@elm:~/documentos/soap $ java CalcClient subtract 5 1 subtract=4 elm@elm:~/documentos/soap $ java CalcClient add 5 1 add=6 A segunda versão do cliente, em PHP: include("SOAP/Client.php");

$soapclient = new SOAP_Client(‘http://localhost:8080/soap/servlet/rpcrouter'); $soapoptions = array(‘namespace’ => ‘urn:onjavaserver’,‘trace’ => 0); //chamando a função add $ret = $soapclient->call(‘add’, $params = array(1,2), $soapoptions);

if (PEAR::isError($ret)) { // tratamento de erros } else { echo “Add=”.$ret; } //chamando a função substract $ret = $soapclient->call(‘subtract’, $params = array(10,2), $soapoptions);

if (PEAR::isError($ret)) { // tratamento de erros } else { echo “Subtract=”.$ret; } E o terceiro, em python: #cliente python usando servico feito em java rodando em servidor tomcat from SOAPpy import SOAPProxy server = SOAPProxy('http://127.0.0.1:8080/soap/servlet/rpcrouter') print '2 + 2 = ' + str(server._ns("urn:onjavaserver").add(2,2)) print '5 - 2 = ' + str(server._ns("urn:onjavaserver").subtract(5,2)) A funcionalidade dos três é a mesma, mas o tamanho do código é interessante. O código em python é muito menor e mais fácil de se entender, IMHO. Esses foram apenas alguns testes que fiz para tentar entender o funcionamento dos Web Services.