Aplicativos indispensáveis em 2017

Todo fim de ano eu faço uma revisão no meu computador, procurando por aplicativos e arquivos que eu não uso mais, alternativas para o que não está funcionando bem, etc. O resultado disso é este post, que é uma continuação do que eu fiz em 2016.

Em 2017 a grande novidade foi o surgimento do Setapp que venho usando desde a versão beta. É uma espécie de “Netflix de apps para Mac”, onde os U$ 9.99 pagos mensalmente me dão direito a mais de 100 aplicativos que somados valem centenas de dólares.

Para tornar este post mais curto vou apenas comentar o que mudou em relação a 2016, então vou usar a mesma categorização que venho usando desde 2004, quando fiz o primeiro post sobre o assunto.

Escrever

Poucas mudanças aqui. Testei o Focused, que faz parte do Setapp, como alternativa ao iA Writer, mas ele é imbatível. Estou gostando bastante do Mate que tenho usado para ajudar quando esqueço como se escreve alguma palavra ou termo em inglês.

Uma inclusão que fiz recentemente, mas que ainda estou avaliando se vale o investimento, é o Bear para salvar minhas anotações. Ele possui uma interface muito amigável e algumas funcionalidades legais, mas não sei se vale os U$ 14,99 anuais. Assinei o primeiro ano mas provavelmente não vou fazer a renovação e vou substituir por alguma das ferramentas do Setapp.

Gerenciar o tempo

Voltei a usar o Inbox, do Google, como minha solução de e-mails. No iPhone estou usando o aplicativo oficial e no Mac o Boxy.

Como eu continuo fanático por métricas não consigo ficar sem uma ferramenta para monitorar o tempo que eu gasto em cada aplicativo e tarefa. Troquei o RescueTime pelo Timing, que faz parte do Setapp.

A maior mudança nesta categoria foi que eu passei a usar a metodologia do Bullet Journal, em papel e caneta. Para quem quiser testar a metodologia mas faz questão de usar um aplicativo, o NotePlan é uma ótima solução.

Trabalho

Depois de anos usando o Sublime Text eu resolvi dar uma chance para o Visual Studio Code e estou gostando bastante da ferramenta. Ainda sinto falta da leveza do Sublime Text, mas o Vscode tem se mostrado bem útil, principalmente no desenvolvimento em Go. Talvez eu ainda volte a usar o Sublime Text em 2018, mas por enquanto estou gostando da mudança.

Sempre ouvi falar muito bem do zsh e o Oh My ZSH! mas somente este ano eu dediquei um tempo para avaliá-los. Gostei bastante e acabei adotando como meu shell padrão, junto com o iTerm2. Tem alguns comportamentos que eu não gosto muito, mas no geral valeu a troca.

Como eu passo a maior parte do tempo escrevendo e testando APIs ter uma ferramenta para ajudar neste processo é importante. O Paw possui algumas funcionalidades matadoras, como poder importar uma especificação escrita em API Blueprint, padrão que adotamos para definir as APIs de nossos projetos.

Outra ferramenta muito útil que faz parte do catálogo do Setapp é o CodeRunner. Eu uso muito para escrever e testar pequenos trechos de código em diversas linguagens como PHP, Go, Python, JavaScript.

Uma das técnicas que eu deveria dominar, mas ainda estou muito longe disso, é a de escrever expressões regulares. Para esta tarefa o Expressions tem sido de grande ajuda.

Leitura e Pessoal

Poucas novidades aqui. A única inclusão importante foi o aplicativo OneSafe, que uso no iPhone e Mac para armazenar e gerar as minhas senhas. Gerenciadores de senha são aplicativos caros, mas é algo importante e valeu os U$ 19.99 investidos.

E você? Que aplicativos não consegue viver sem?

comments powered by Disqus